escrevo porque gosto, escrevo para me libertar, não para agradar. ps. todos os textos são da minha autoria, os créditos inventaram-se por alguma razão.

janeiro 26, 2010

Ele, coração.

Gritou e gritou. Nada era vão e ele tinha essa noção.
Numa brisa avassaladora percebeu tudo o que ficara para trás, ou o que nada existiu.
E mesmo sabendo, insistiu.
E quão ridículo terá sido?
Andar de olhos fechados.
E quão grande bandido?
Preso entre todos esses laços entrelaçados.
Agora, um único desejo, que a menina ingénua tenha morrido, senão adormecido.
Nem os seus mais queridos perceberão esta destruição, resta-lhe o conforto da solidão.
Quando sua fala escassa está, inexistente uma outra solução.

5 comentários:

  1. Ta Muito Louco o poema!

    Continua! Adorei!

    As tuas palavras ten tanta intensidade e sao tao fortes, sao escritas com sentimento!!

    Adoreii| *.*

    ResponderEliminar
  2. - estão lindos os textos !
    - gostei muito ..

    ResponderEliminar
  3. texto lindo! adoro!
    gosto da tua maneira de escrever :D

    ResponderEliminar

Pesquisar neste blogue

Arquivo do blogue

Seguidores

Harder Than You Know - ETF